Estamos servindo em Moçambique e agradecemos a você que participa conosco desta missão:
* Intercedendo pela nossa família e ministério
* Contribuindo para o nosso sustento (Banco do Brasil, Agência: 7029-7, Conta corrente: 5464-X)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Paraíba: João Pessoa, Campina Grande e Cajazeiras

As informações recebidas sobre as dificuldades enfrentadas por pastores e missionários no interior da Paraíba sensibilizaram o coração de várias pessoas na I B Estoril que decidiram fazer alguma coisa para ajudar.
Cerca de uma tonelada e meia em doações diversas foram arrecadadas durante vários meses. Kits personalizados para mais de 20 famílias foram cuidadosamente preparados, incluindo gêneros alimentícios, roupas, sapatos e até produtos de higiene pessoal.
Mas não bastava enviar tudo isso para a Paraíba. A idéia era poder entregar pessoalmente estas doações. Conhecer as famílias que iriam receber os kits. Entender melhor as suas necessidades. Orar com elas e encorajá-las a seguir em frente, fazendo tudo para a honra e glória do Senhor.
Foi assim que um grupo de 19 pessoas saiu de Bauru numa madrugada fria de junho para enfrentar os mais de 30 graus na Paraíba.
Como valeu a pena conhecer essas pessoas. Alguns que estão no campo há vários anos, nunca receberam sequer uma carta ou um telefonema de alguém para saber se estavam bem  ou se precisavam de alguma coisa. É interessante ver como aquilo que as vezes parece tão pouco pra gente, representa muito para outras pessoas.
Os primeiros kits foram entregues na sede da Associação Batista Paraibana em um encontro emocionante com pastores e famílias de missionários que estão trabalhando próximo à capital João Pessoa.
“A vinda de vocês aqui é resposta das nossas orações”! Essa frase, dita pelo Pr Jenilson, me faz pensar em como valeu a pena a nossa igreja acreditar que podería ser usada por Deus para abençoar a vida de pessoas que viviam tão distantes da gente.
DSC09109DSC09110
Conhecemos o Pr Sérgio, que viaja toda semana 470 km em uma moto 125cc, em estado razoável de conservação para ir de Campina Grande pastorear uma igreja em Cajazeiras. Depois enfrenta mais 470 km de viagem de volta.
DSC09155
A igreja é pequena, tem poucos recursos, mas muita disposição para aproveitar todo o potencial para pregar o evangelho.
Prova disso é que em dois anos e meio já foram iniciados 5 pontos de pregação na região.
Encontramos famílias missionárias trabalhando em lugares de difícil acesso no sertão: São José da Lagoa Tapada e Carrapateiras são dois exemplos.
Em Cajazeiras, antes do início do culto vimos um senhor sentado num cantinho de uma banco da igreja e resolvemos sentar junto dele.
DSC09150Os momentos que antecediam o culto permitiram conhecermos um pouco mais do “Seu” Pedro, que era Alogoano mas morava na Paraíba havia muitos anos. Foi garimpeiro, conheceu a Jesus e era o único crente da sua família. Contou que orava muito pelos filhos que enfrentavam problemas com a bebida. Assim que chegamos de volta em Bauru, recebemos a notícia de que dois dias depois daquele culto em Cajazeiras, Deus tinha chamado o Sr. Pedro para morar com Ele na glória.
Soubemos que os familiares diziam que o Sr. Pedro estava muito contete em ter conhecido os “irmãos” de São Paulo e que havia descançado em Paz no Senhor.
Pr Dorivan, no trabalho de plantação de igrejas no Sertão. Jovem obreira da equipe do Pr Dorivan que está orando por recursos para cursar seminário em Campina Grande.
DSC09131DSC09226
Cultura sertaneja. Manteiga de garrafa. Crianças no sertão.
DSC09270DSC09176DSC09192
Comidas típicas: cucuz, sovaco de cobra, buchada de bode, tapióca, arroz de leite.
DSC09133DSC09174
DSC09263

Um comentário:

  1. Deucyr Helena B. S. Ananias22 de março de 2012 02:03

    Oi Familia!!!!
    Como é bom receber noticias de vcs!!!!
    Estarei orando, que Deus continue abençoando, este ministério!!!!
    Saudades...
    Bjs.
    Deucyr

    ResponderExcluir